quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Consciência Negra


20 de novembro chegou, passou e eu dormi no ponto. Peço perdão pelo vacilo. O Dia da Consciência Negra tem por objetivo destacar todas as lutas do povo negro contra o sistema que o oprime no Brasil por cinco séculos. A data faz menção à morte do Zumbi de Palmares, aquele que morreu lutando pela liberdade de seus iguais. Partindo dessa premissa, confesso que passei boa parte do domingo (20) refletindo sobre o que escrever à respeito do Dia da Consciência Negra. Nesse meio tempo, me ocorreram algumas perguntas. Como poderia abordar o assunto de uma forma que todas as outras mídias ainda não tenham abordado? Como colocar tanta informação em uma única postagem sem que as pessoas se sintam saturadas pela extensão do texto? Porque, sério, tinha coisa pra caramba pra ser falada. Quais são os tópicos mais importantes a serem desenvolvidos? As mil perguntas que brotavam na minha cabeça a cada segundo acabaram me causando um transtorno: a dificuldade em passar tudo para o arquivo do word. 

Por fim, o relógio do notebook marcou meia noite e lá estava eu com o arquivo cheio de informações, mas sem nenhuma estruturação ou coesão textual. O bloqueio chega para todos, não é mesmo? E não sei se vocês sabem, mas eu sou virginiana e um tanto perfeccionista com as coisas que gosto de fazer. Então quando o dia deixou de ser 20 para ser 21, não vi mais sentido em fazer uma postagem específica sobre o dia da Consciência Negra, vez que deixei a data tão significativa passar por problemas criativos e de execução. Shame on me!

E então me deparei com uma pergunta no facebook, o clichezão do choro branco, p'ra variar: "pra quê existir dia da consciência negra? precisamos de consciência humana" (sic). Daí eu percebi a necessidade de fazer algo relacionado à data, mesmo que não seja mais dia vinte. Afinal, precisamos de conscientização todos os dias, não em apenas um dia do ano. Dia este em que o racista tira para bancar o bom samaritano e escrever mensagenzinha bonitinha dizendo que o preto é lindo só para ganhar biscoito; ou para compartilhar aquele videozinho do Morgan Freeman para tentar justificar seu preconceito. Amigos, eu fiquei tão fula cada vez que eu lia algo que começava com "somos todos iguais". Pois é, somos todos iguais mesmo, vivemos em perfeita harmonia e o racismo não existe, tanto é verdade que no mesmo dia, 7 corpos de jovens negros foram encontrados na Cidade de Deus. Por favor né? Vai jogar esse discurso de democracia racial em outra roda que aqui não cola mais.

E é pensando nisso que nós, d'O Corvo resolvemos destacar a existência e resistência negra não somente no dia 20 de novembro, mas estender esse protagonismo. Acompanhem a tag para conferir uma série de textos destacando conquistas importantes dos negros nas mais variadas esferas da nossa sociedade (mercado de trabalho, universidades, mídia, indústria musical, cinema, etc.), especialmente sobre a ocupação de espaços que antes nos eram negados, sobre os obstáculos que enfrentamos ao reafirmar nossa ancestralidade e sobre os problemas que ainda nos afetam e que precisam ser, urgentemente, solucionados.

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Carol maravilhosa como sempre e arrasando nos textos. O mais gostoso das suas matérias é a tranquilidade e preocupação com as palavras. No meio da leitura me pequei pensando em ler um livro seu. Será que rola?

    Wandrey!!! cadê a contra crítica de Animas Fantásticos? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada mesmo, você que é um lindo, Arthur! Quanto ao livro, já iniciei alguns projetos mesmo. Mas acho que por agora o mais próximo disso será meu TCC. Hahahaha.

      Quanto à contra crítica de Animais Fantásticos deve sair ainda hoje. Porém, contudo, todavia vai ficar sob minha responsabilidade dessa vez (juro que vou tentar não decepcionar q).

      Excluir

Estamos ansiosos para ler seu comentário. Entretanto, tenha em mente que todos os comentários são manualmente moderados por nossos revisores de acordo com a nossa política de comentários.